quinta-feira, 19 de outubro de 2017

XIII Fórum de Editoração


Olá, tenham um excelente dia amigos.

O Fórum de Editoração é um evento realizado pelos alunos de graduação da Escola de Comunicações e Artes da Universidade São Paulo (ECA-USP). Criado em 2005 a partir da necessidade de discussão e reflexão sobre a área editorial, o evento chega este ano à sua 13ª edição com o mesmo objetivo inicial: abrir espaço para o debate entre profissionais, pesquisadores e estudantes, sem, no entanto, limitar as discussões às questões técnicas e mercadológicas que permeiam a produção do livro.

Esse ano, o tema do Fórum é: Expandir e Lapidar: Escolhas e Contrapontos do Editor.

O evento discutirá as diversas facetas do mercado editorial e como o editor se posiciona diante das múltiplas opções que se apresentam no cotidiano da profissão. Todas essas decisões afetam a cadeia produtiva, desde a escolha do original até o projeto gráfico da publicação.

Nessa edição, o Fórum será realizado em parceria com a Unibes Cultural, localizada na Rua Oscar Freire, 2500 (ao lado da estação de metrô Sumaré).

Entrada gratuita
A inscrição será realizada individualmente por mesa, por meio da plataforma Sympla. Fique atento! Se você quiser assistir às quatro mesas, deverá se inscrever para cada uma delas separadamente. 



Inscrições:
https://www.sympla.com.br/xiii-forum-de-editoracao-expandir-e-lapidar-escolhas-e-contrapontos-do-editor__198888

Programação
9:00 – Mesa 1 | Entre outros mil, por que não o Brasil?
10:15 – Coffee break
10:30 – Mesa 2 | A vez da voz: o livro com função social
11:45 – Intervalo para o almoço 
13:00 – Mesa 3 | Além do 14x21: saindo do tradicional no projeto gráfico
14:15 – Coffee break
14:30 – Mesa 4 | Da internet à estante: a nova economia do livro
15:45 – Encerramento

Serviço:

XIII Fórum de Editoração

Quando: dia 21/10, das 9h às 15h45

Local: Unibes Cultural –Rua Oscar Freire,2500, São Paulo
Mais informações: (11) 3065-4333

Mapa de localização:



quarta-feira, 18 de outubro de 2017

Encontro Literário

Olá, bom dia meus amigos.
Excelente quarta-feira a todos nós.

Interessados em participar do Encontro Literário promovido pelo SESI Santos, o evento, que conta com a escritora Helena Gomes, acontece hoje, às 14 horas.
A Helena Gomes é jornalista, professora universitária e autora de vários livros com adoção em escolas e selecionados por programas de governo.
Foi três vezes finalista do Prêmio Jabuti e três livros já receberam o selo Altamente Recomendável da FNLIJ (Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil).
Tem obras selecionadas para representar a Literatura Brasileira no catálogo Selection of Brazilian Writers, Illustrators and Publishers da FNLIJ para a Feira do Livro Infantil de Bolonha (2015 e 2017) e na Machado de Assis Magazine, no Salão do Livro de Paris (2015).
Participou ainda de antologias: Geração Subzero (Record, 2012), Ficção de Polpa 3 (Não Editora, 2009), O Livro Negro dos Vampiros (Andross, 2007), Dias Contados (Andross, 2009), Marcas na Parede (Andross, 2009), Meu Amor é um Vampiro (Draco, 2010) e Medieval (Draco, 2016).


Serviço:
Encontro Literário com a escritora Helena Gomes
Quando: dia 18/10, às 14h, entrada gratuita
Local: SESI Santos – Av. Nossa Senhora de Fátima, 366, Jardim Santa Maria
Mais informações: (13) 3209-8210
O local conta com estacionamento gratuito 

terça-feira, 17 de outubro de 2017

Como é Bom ser Bom

 

Boa terça-feira a todos nós.

Meu amigo diretor Carlos Oliveira apresenta hoje o documentário Como é Bom Ser Bom.  

 

No dia 17 de outubro, às 19 horas, na Unisantos, o músico e compositor Theo Cancello e o cineasta e produtor audiovisual Carlos Oliveira batem um papo sobre o processo de criação e direcionamento da trilha sonora de “Como é bom ser bom”, um filme de curta metragem que mostra um episódio da vida do médico e poeta santista José Martins Fontes (Santos, 23 de junho de 1884 — Santos, 25 de junho de 1937).


O bate-papo, que acontecerá após a exibição do filme, terá a coordenação do Professor Doutor Gil Nuno Vaz, do curso de Licenciatura em Música da Unisantos. Serão tratados assuntos como: a importância da concepção da trilha sonora original juntamente com o diretor do filme, as responsabilidades criativas do diretor e do compositor, escolha por produção de trilha sonora original ou utilização de trilha pré-gravada.

 

O evento tem como objetivo valorizar o papel do músico que compõe para o audiovisual e estimular a aproximação do compositor com o mercado de cinema, TV e novas mídias. A Professora Doutora Rosa Maria Valente Fernandes, do curso de Letras da Unisantos, também participará, abordando a obra do poeta Martins Fontes, personagem principal do filme a ser exibido. 



segunda-feira, 16 de outubro de 2017

À Virgem Santíssima

Poema de Antero de Quental

 

Olá bom início de semana a todos nós e que tal um pouco de poesia para suavizar a semana?

Este é mais um poema que faz parte da coletânea que estou lendo e achei legal disponibilizar um pouco dos poetas portugueses aqui no Cantinho da poesia, espero que gostem Abraços,

Míriam



 

Num sonho todo feito de incerteza,
De noturna e indizível ansiedade,
É que eu vi teu olhar de piedade
E (mais que piedade) de tristeza...

Não era o vulgar brilho da beleza,
Nem o ardor banal da mocidade,
Era outra luz, era outra suavidade
Que até nem sei se as há na natureza...

Um místico sofrer... uma ventura
Feita só do perdão, só da ternura
E da paz da nossa hora derradeira...

Ó visão, visão triste e piedosa!
Fita-me assim calada, assim chorosa...
E deixa-me sonhar a vida inteira!


Antero de Quental


Antero Tarquínio de Quental nasceu em Ponta Delgada, na Ilha de São Miguel, no Arquipélago dos Açores, Portugal, no dia 18 de abril de 1842. Descendente de família nobre, filho de Fernando de Quental e Ana Guilhermina da Maia, Quental passou sua infância e cursou os estudos primários e secundários em sua cidade natal, na capital da ilha de São Miguel.
Com apenas 16 anos, ingressou em Direito e foi estudar em Coimbra donde se destacou com seu brilhantismo. Interessado pela política, filosofia e literatura, Antero em 1862, com 20 anos, publicou seus primeiros sonetos (forma fixa literária, composta de dois quartetos e dois tercetos), intitulado “Sonetos de Antero”.
Junto aos poetas portugueses Luís de Camões e Bocage (um de seus amigos íntimos) formou a tríade dos maiores sonetistas portugueses. Viajou pela França, Estados Unidos e Canadá, entretanto, foi em seu país, Portugal, que passou a maior parte de sua vida se dedicando à literatura e às questões políticas.
Os poetas da geração de 1870 formaram o grupo de literatos empenhados em renovar o pensamento português, ligados, mais tarde, à Questão Coimbrã, uma polêmica literária travada em 1865 entre os jovens da Universidade de Coimbra e os poetas amigos de António Feliciano de Castilho. Assim, Feliciano critica as ideias dos novos poetas portugueses, centradas na liberdade de pensamento, sobretudo de Antero de Quental.
Note que Antero foi o maior agitador da Questão Coimbrã, consagrado pelos poemas "Odes Modernas" e o ensaio "Bom Senso e Bom Gosto", esse último representa a resposta violenta dada a Antônio Feliciano de Castilho.

 

Principais Obras

Dono de uma obra essencialmente filosófica, social, política, metafísica e lírica, Antero de Quental é considerado um dos maiores escritores de língua portuguesa. Algumas de suas obras:
·       Sonetos de Antero (1861)
·       Beatrice e Fiat Lux (1863)
·       Odes Modernas (1865)
·       Bom Senso e Bom Gosto (1865)
·       A Dignidade das Letras e as Literaturas Oficiais (1865)
·       Defesa da Carta Encíclica de Sua Santidade Pio IX (1865)
·       Portugal perante a Revolução de Espanha (1868)
·       Primaveras Românticas (1872)
·       Considerações sobre a Filosofia da História Literária Portuguesa (1872)
·       A Poesia na Actualidade (1881)
·       A Filosofia da Natureza dos Naturalistas (1884)
·       Sonetos Completos (1886)
·       A Filosofia da Natureza dos Naturistas (1886)
·       Tendências Gerais da filosofia na Segunda Metade do Século XIX (1890)
·       Raios de extinta luz (1892)   

domingo, 15 de outubro de 2017

Santos Comic Expo

 

Olá um bom domingo a todos nós. Ontem fui assistir Blade Runner 2049 e confesso que gostei mais do primeiro. Achei sem ação e cansativo, o filme deveria ter mais dinamismo, embora venha recendo boas críticas. Bem, é a minha opinião, qual é a sua?



 

As histórias em quadrinhos encantam diferentes gerações e fazem parte de um universo nerd que só expande a cada ano. A Santos Comic Expo é exemplo desse crescimento. Em sua 5ª edição, o evento acontece no Centro de Cultura Patrícia Galvão (Av. Senador Pinheiro Machado, 48, Vila Mathias), das 10h às 18h, atividades que começaram ontem e contam com painéis, lançamentos, presença de autores e mais de 60 expositores.

Confira a programação deste domingo:
11h
Steampunk: É um subgênero da ficção científica e caracteriza-se pela presença de tecnologia moderna ambientada geralmente na Era Vitoriana ou Western.

13h
Como tornar realidade sua HQ: bate-papo sobre os meios possíveis para a publicação dos quadrinhos nos tempos atuais.


14h30
Profissão: editor de quadrinhos: quais são as atribuições de um editor de quadrinhos? Até que ponto ele pode interferir no processo criativo de um artista? 


sábado, 14 de outubro de 2017

Festival MAIS

 

Olá queridos amigos, excelente sábado para todos nós, e não se esqueçam do horário de verão, à 0h de hoje adiante em uma hora os relógios.

Bem, recebi indicação de uma amiga para o Festival MAIS e confesso que não conheço, mesmo assim, disponibilizo aqui para quem mais se interessar, ok? Mas atenção que o festival começou ontem e termina domingo.

 


O Festival MAIS é a sétima produção e edição do projeto MAIS – Música Autoral e Independente Santista.
MAIS é um movimento que abre cena para música autoral da Baixada Santista, que acontece desde 2013. 

Este é o projeto de realização de sua maior edição com a participação de compositores da região da Baixada Santista. Esta edição homenageia à data de nascimento do compositor santista Gilberto Mendes.

O Festival se propõe a atingir públicos variados, e aposta na programação de artistas que representem a diversidade da música santista, contemplando o samba, o rap, a MPB, a música regional, o pop, o rock e a música instrumental apresentados na rua, praça, de graça para quem quiser escutar. Na trilha de quem acredita que fazer arte fortalece a cultura do povo e da cidade, o Festival MAIS convida nomes e trabalhos musicais, na diversidade de ritmos, harmonias e melodias para o alcance do público provocado a ouvir e bailar com o repertório que faz parte desse arranjo.

Programação:
14/10 – sábado – Emissário

16h30 – Bateria Calunga – Projeto Camará
17h – Eskina do Samba – samba
18h – Imagreen – rap
18h30 – Osas Destiny – ragamuffin (Nigéria)
19h – Coletivo Baobá de Malê – cultura popular
20h – Noiz por Noiz – rap
20h30 – Batalha de Rima – rap
21h – Art Radical – rap caiçara
Nos intervalos: DJ Buzina

15/10 – Domingo – Praça do Aquário

15h Los Volks – indie
16h Zebra Zebra – rock
17h Erodelia – hard rock
18h Br Combo – instrumental brasileiro
19h Mauro Hector – blues e jazz
20h Bocato – jazz e fusion
Nos intervalos: DJ Lufer.

Serviço:
Festival MAIS
Quando: de 13 a 15/10
Locais: Praça Nossa Senhora Aparecida (Praça do BNH) 
Parque Roberto Santini (Emissário Submarino)
Praça do Aquário Municipal
Realização: Komboio Cultural e Reverbere Cultura em Movimento  

sexta-feira, 13 de outubro de 2017


Olá pessoal, bom dia, espero que seja bom, pois já tive contratempos hoje aqui em casa que mudaram a minha programação, literalmente. Havia me esquecido que hoje, é Sexta-feira 13!!!!

E na edição deste mês da Revista Conexão Literatura meu conto é justamente sobre esse dia, para chamar a atenção contra a ignorância de muitas pessoas que ainda sacrificam gatos pretos nesta data.

Espero que gostem da história, e a postagem que eu havia colocado retornarei amanhã, porque é sobre um evento literário muito legal. Abraços, obrigada,

Míriam

 

Conto: Sexta-Feira Treze!
Por Míriam Santiago
                                   
         Laura sabia que o dia não seria muito bom para ela, pois era sexta-feira treze!
Extremamente supersticiosa a moça era daquelas pessoas ligadas a crendices populares das mais diversas. Não passava em baixo de escada, não chegava perto de gato preto por causa do mau agouro e por aí afora.
         E ela sabia que seria mais um dia em que deveria se preocupar até para atravessar a rua.
         E assim a jovem tomou as precauções devidas para não faltar ao trabalho. Sim, porque da última sexta-feira 13, em janeiro deste ano, Laura telefonou ao serviço e disse que estava doente, porque leu no horóscopo logo cedo, pela internet, que seu signo estaria em perigo por causa da data. O que dizer de pessoas assim?
        
 - Meu Deus, outubro e sexta-feira treze novamente! – Exclamou logo cedo Laura, ao olhar, religiosamente na folhinha, o dia da semana.
A moça, para não perder o costume, foi consultar o “seu oráculo”, o horóscopo pela internet.
Que bom, hoje, apesar do dia azarento, não acontecerá nada de diferente, e está escrito para eu não me preocupar. Diz Laura.
Apressou-se para não se atrasar e conseguiu chegar ao serviço no horário. E o dia no Centro de Santos prosseguiu na normalidade com um detalhe: muita gente vestindo preto!
Já era noite quando a jovem conseguiu sair do serviço e retornar a casa.  Estranho não ter ninguém na rua! Pensa Laura, já engolindo em seco com a situação. Ela tenta apressar o passo quando, ao virar a esquina, se depara com um gato preto na calçada. O bicho ficou parado e olhando para ela. Era um gato grande e gordo e os olhos verdes a fitavam a cada passo.
Laura observou que o bichano a seguia com os olhos.
Não posso continuar nesta calçada, não conseguirei passar ao lado dele! Pensava Laura, que já estava desesperada.
Mas li que não me preocupasse com nada, mas justo um gato preto? O horóscopo nunca me deixou na mão! Tentava Laura, com todas as suas forças, a ignorar o pobre animal.
Ao atravessar a rua, Laura olhou para o outro lado e viu que o gato atravessou também.
Ela apressou o passo e o gato começou a segui-la. Laura mal conseguia respirar de tanto nervoso e o gato vinha calmamente atrás dela. Desesperada, atravessou a rua novamente e, para sua surpresa, o bicho também.
A moça tentou correr, mas sem forças devido ao nervosismo, não conseguiu. Apressou ainda mais o passo e o gato continuava firme seguindo-a.
Laura não acreditava que sua casa ficasse assim tão longe do ponto de ônibus!
De repente, ao virar por mais uma esquina, ela se depara com um homem, que vestido completamente de preto, caminhava pela rua.
- Ei moça, você quase me atropelou, sorriu o jovem para ela, após segurá-la pelo braço. Por que tanta pressa? Perguntou ele.
- É que tem um gato me seguindo! Disse ela.
- Como é que é? Perguntou ele, com um sorrisinho de deboche.
- Me ajude, por favor, implorou ela ao homem!
E o gato parou diante deles. O bicho encarou o jovem e seus olhos verdes ficaram ainda maiores ao avistar o rapaz. O gato mudou de fisionomia e rapidamente, avançou no jovem, furioso.
Laura gritou de susto e saiu correndo.
O homem tentou se desvencilhar do animal, que estava grudado em seu cangote a mordê-lo.
Maldito gato, coitado do rapaz! Chorava Laura, enquanto conseguiu correr até sua residência. 
Ao abrir o portão ela escutou um miado alto e estridente e sabia que o homem havia enxotado o bicho.
Graças que aquele homem pegou o gato, ainda bem. Pensava ela.
Laura morava sozinha, já que veio do Sul do País para estudar e ficou pelo Estado de São Paulo, mais precisamente em Santos. Cansada, só queria dormir.
Nisso, alguém toca a campainha e Laura vai até o portão. Era aquele rapaz, estava com a roupa toda surrada e rasgada e ensanguentado. Ele mal conseguia ficar em pé sem se apoiar.
- Meu Deus, exclamou a jovem horrorizada ao ver o estado do homem, o gato fez tudo isso em você? Perguntou.
- Por favor, entre, disse Laura ao estranho, que a segurou no braço para se apoiar.
A jovem o sentou numa cadeira da sala e foi buscar a maleta branca de medicamentos. Após, chamaria um táxi para o jovem.
Ao retornar, a sala estava vazia.
Laura começou olhar pela casa, abriu a porta para ver se o via partindo, mas nada, desaparecera. Nem sinal dele.
Vou chamar a polícia. Como sou idiota, e se for um ladrão? Questionava-se.
Ao pegar o telefone, Laura vê um vulto. Assustada, ela deixa o telefone cair de suas mãos e sobe as escadas correndo para o quarto. Entra e tranca a porta do cômodo. Gritando, ela diz que com o celular chamou a polícia.
Nisso, escuta um barulho no telhado. Assustada e tremendo muito, Laura sente o coração sair pela boca quando vê o rapaz do lado de fora flutuando parado em frente à janela. Ele levanta calmamente os vidros, apoia os braços nos batentes, abaixa a cabeça e num piscar de olhos já estava em pé dentro do quarto.
- Não grite, eu não vou machucá-la diz o rapaz, que estava completamente revigorado e os arranhões haviam sumido de seu rosto.
Caminhando bem devagar ele a seduz com o olhar. A moça fica completamente hipnotizada.
- Foi você quem me convidou a entrar, disse baixinho, sussurrando ao ouvido...
 ...
E o barulho estridente do alarme do despertador faz Laura pular da cama.
Que sonho horrível, meu Deus! Mas ainda bem que foi só um pesadelo! Diz Laura a si mesma.
Tomou um banho correndo para o trabalho e saiu de casa; estava sem fome.
Ao caminhar até o ponto de ônibus, não se sente bem e retorna a casa. Febril, Laura dorme o dia inteiro.
Acorda a noite sentindo-se melhor.
Toma um banho para relaxar.
Ao se aproximar do espelho para pentear-se, nota algo incomum em seu olhar.
Laura então se afasta e se apoia na parede ao ver sua imagem pouco refletida no espelho.
Sem saber o que acontecia escuta um miado lá de fora. Cambaleando entre paredes vê da janela um gato preto no portão.
Aos poucos vai recordando e entendendo que na noite anterior o bicho não estava atrás dela para machucá-la, e sim, para protegê-la!


A história fictícia que se passa em outubro de 2017 (Sexta-feira Treze) visa chamar a atenção contra o mau agouro, ainda hoje, do gato preto.
A adoção desses bichos é sempre mais difícil, eles sofrem muita rejeição por conta de mitos e preconceitos criados contra eles. Mas tem épocas em que as pessoas querem muito “adotar” apenas gatos pretos. Nesses períodos (antes da Sexta-feira Treze e Dia das Bruxas), especificamente, o objetivo é sacrificá-los em rituais de magia, em geral de forma cruel e dolorosa.


8ª edição do Livros em Pauta

Congresso de Literatura, Quadrinhos e RPG

 

O LIVROS EM PAUTA foi criado pelo escritor Edson Rossatto com o intuito de promover o encontro de escritores, editores, críticos literários e demais profissionais do livro com leitores e escritores amadores, para discussões sérias e também para bate-papos descontraídos por intermédio de atividades gratuitas, como mesas-redondas, palestras, sessões de autógrafos e lançamentos de livros.



Até a 4ª edição, as temáticas giravam em torno apenas de “livros e literaturas” e o evento ostentava o subtítulo “Encontro de leitores com escritores e outros profissionais do livro”. Contudo, o consumidor de livros, ao longo dos anos, passou a apreciar outros tipos de mídias correlatas, como quadrinhos, cinema, séries de TV, jogos de RPG e games. Basicamente essas pessoas consomem histórias, não importando em qual tipo de mídias elas se apresentam.


Assim, atualizando o evento para novos tempos, a partir da 5ª edição, o LIVROS EM PAUTA passou a contemplar atividades culturais relacionadas a outras mídias, adotando, então, o subtítulo “Congresso de Literatura, quadrinhos, RPG e outras mídias nerds”.

Serviço:

8ª edição do Livros em Pauta

Quando: dia 14/10, sábado, das 10h às 20h

Local: Osaka Naniwa Kai (instituição beneficente) – Rua Domingos de Morais, 1581, Vila Mariana, São Paulo

Mais informações: +55 (11) 5549-7226

E-mail: info@osakananiwakaui.org

 

Mais informações:

http://www.livrosempauta.com.br/


 

quarta-feira, 11 de outubro de 2017

Blade Runner 2049

 

Olá queridos amigos, hoje o dia será maravilhoso, véspera de feriadão!

Meu final de semana foi tumultuado e não consegui assistir Blade Runner, mas pretendo neste feriado, que será bem mais tranquilo.

Então, fica a dica, abraços,

Míriam

 

As filmagens ocorreram em Budapeste, Hungria entre julho e novembro de 2016. Blade Runner 2049 estreou em Los Angeles em 3 de outubro de 2017 e foi lançado nos Estados Unidos e no Brasil em 6 de outubro de 2017, em 2D, 3D e IMAX. O filme recebeu aclamação de críticos, com alguns considerando-o como uma das melhores sequências cinematográfica já realizada
Em 2049, os replicantes – androides fabricados graças ao desenvolvimento da bioengenharia – foram integrados à sociedade para possibilitar a continuação da sobrevivência da espécie humana, sendo responsáveis por fazer trabalho pesado e em ambientes hostis. K (Ryan Gosling), um novo modelo criado para obedecer ordens, trabalha como "blade runner" para o Departamento de Polícia de Los Angeles, caçando e "aposentando" antigos modelos que ainda estão à solta. Sua vida pessoal resume-se a conversar com sua namorada virtual, Joi (Ana de Armas), fabricada pela Wallace Corporation.
A investigação de K sobre um grupo de replicantes rebeldes o leva a uma fazenda de proteína, onde ele aposenta Sapper Morton (Dave Bautista) e encontra uma caixa enterrada que parece ser uma urna com restos humanos. Uma análise forense revela que trata-se dos restos mortais de uma mulher que morreu por complicações no parto após uma cesariana de emergência. Isto deixa K perturbado, porque a gravidez em replicantes era até então tida como impossível.

 

Assista ao trailer: